ESG no RH: qual o seu papel e o que fazer para implementar?

O conceito de ESG está diretamente ligado ao RH e vem ganhando cada vez mais relevância nas organizações, onde é usado para se referir a práticas sustentáveis, seja em âmbito ambiental, social ou de governança das empresas.

Nos dias de hoje, ESG é essencial para qualquer organização que entenda que a transformação da sociedade necessariamente passa pela transformação de nossas empresas e modelos de negócios. Empresas conectadas com esse conceito e que buscam evoluir nessa direção, não somente tendem a apresentar melhores resultados e revelar um maior potencial de longevidade, como também tendem a reter e atrair os melhores talentos.

Dessa forma, o conceito acaba se tornando ainda mais relevante para toda e qualquer empresa que queira gerar impactos ainda mais positivos no mundo, garantindo um presente rentável e lucrativo, e ao mesmo tempo criando um futuro melhor. 

Afinal, o que é ESG?

A sigla ESG surgiu em uma publicação de 2005, do Pacto Global da ONU, em parceria com o Banco Mundial, chamada Who Cares Wins. A sigla em inglês significa “environmental, social and governance”, em português: meio ambiente, social e governança. Esse conceito surgiu por causa de temas importantes para as empresas e para toda a sociedade, como questões ambientais, sociais e governança no gerenciamento de ativos.

O objetivo do ESG é remodelar comportamentos nocivos que existem no mundo corporativo. Para apontar as empresas que são alinhadas ou não com essas regras, foram criadas práticas e métricas para cada esfera desse conceito:

  • E (environment) – posicionamento da empresa em relação a conservação do meio ambiente: emissão de carbono, gestão de resíduos, poluição da água, etc.;
  • S (social) – relacionamento do negócio com os clientes, colaboradores, investidores, parceiros e a comunidade. Entre as práticas está a proteção de dados e privacidade dos consumidores, melhoria da satisfação dos colaboradores e políticas sociais para a comunidade;
  • G (governance) – atuação da organização no gerenciamento das práticas administrativas internas, conduta corporativa, transparência de processos, relacionamento com órgãos governamentais etc.

De acordo com o relatório da ONU, as empresas que se preocupam em seguir as regras do ESG, aumentam seu valor de mercado, desempenho financeiro, qualidade na gestão e nos processos internos.

Qual o papel do RH na implantação do ESG?

O profissional de RH tem um papel importante para influenciar a implementação de boas práticas que propiciem uma postura sustentável, especialmente no que diz respeito à evolução e o fortalecimento de uma cultura, a partir de uma liderança consciente do seu papel nesse contexto.

Uma vez que o RH que se posiciona estrategicamente pode fazer a diferença na instrumentalização do modelo de gestão de ESG que coloque em destaque as correlações entre uma postura mais social e ambientalmente sustentável e os resultados do negócio. Dessa forma, os gestores, lideres e colaboradores são ensinados a adotarem práticas sustentáveis ao exercerem suas atividades diárias.

A gestão de cultura por valores é capaz de conectar as necessidades das pessoas com a prosperidade e perenidade da organização, seja para sua comunidade interna seja para a sociedade como um todo. Nesse contexto a liderança do RH pode ser determinante! Em vez de pensar apenas em lucros, a liderança precisa pensar em como atingir a lucratividade desejada por meio de ações sustentáveis. Para isso, o RH pode incluir no programa de treinamento e desenvolvimento de líderes, aulas que tratem do assunto e suas aplicações na empresa.

Alguns pilares essenciais para que ESG seja um tema presente e realmente levado a sério são: o desenvolvimento dos líderes, a promoção da segurança psicológica no ambiente de trabalho e, ainda, a gestão de uma cultura por valores que sustentem a evolução da organização a caminho de novas práticas e mindset.

Como o RH pode colocar o ESG em prática

Para que o ESG se torne parte da cultura da empresa, separamos algumas dicas para ajudar você:

  • Treinamento dos colaboradores, revisão das políticas internas, contratação de profissionais com perfil sustentável e recompensas para os colaboradores que adotam as práticas ESG;
  • Acompanhamento e análise constante para verificar se as práticas estão sendo seguidas e gerando os efeitos esperados;
  • Direcionar colaboradores que atuarão como embaixadores e promotores das práticas ESG na empresa;
  • Divulgar seu posicionamento socioambiental através de redes sociais e outros meios.

Para que tudo fique bem alicerçado, é essencial que o RH ajude a organização a elaborar um manual ou documento de boas práticas ESG. Esse material pode ser fornecido para todos os colaboradores e os que são contratados em um processo seletivo. Dessa forma, as equipes têm um direcionamento a seguir de práticas sustentáveis.

Como uma forma de reforçar esse posicionamento, o RH pode inserir meios educativos simples no ambiente de trabalho. Por exemplo, placas que sinalizam a importância de economizar água, recolher o lixo e aproveitar a brisa natural em vez de ligar o ar condicionado.

Qual a importância do ESG e suas vantagens?

Quando a empresa se posiciona como sustentável, conquista muitas vantagens no mercado financeiro. Uma delas é o aumento de investimentos.

As empresas têm um papel fundamental na luta contra a depredação do meio ambiente, uma vez que movimentam a economia mundial, a produção de bens e serviços, e influenciam o comportamento dos consumidores, por isso, muitos analistas financeiros, investidores e fundos de investimentos, analisam a conduta socioambiental de uma organização antes de injetar dinheiro nas ações dela. Dessa forma, utilizam as métricas e critérios do para entender se o negócio tem boas práticas de sustentabilidade, relacionamento com os clientes e as demandas internas.

Nos dias de hoje, até mesmo os consumidores estão mais atentos a esses aspectos e muitos preferem se relacionar com marcas que se preocupam com o meio ambiente.

Podemos apontar outra vantagem de a empresa adotar o ESG: a melhoria da marca empregadora (employer branding). O resultado disso é a atração e a retenção de talentos que prezam pela sustentabilidade, reforçando assim a cultura interna voltada para as regras do ESG.

Conclusão

O conceito de ESG nos alerta para um fato: este é o momento de tornar nossas organizações mais sustentáveis, conscientes, diversas e humanas. Para isso, o RH tem um papel essencial no levantamento dessa pauta dentro das empresas, na promoção de um ambiente de maior segurança psicológica e no alinhamento de um senso de propósito coletivo.

Essa sigla ainda será muito comentada no mundo corporativo e pode se tornar um dos pilares mais importantes para o sucesso das empresas do futuro. Por isso, o RH precisa ser estratégico e ajudar o negócio a começar a incorporar as práticas ESG o quanto antes!